A enclavar desde 2005

«São meus discípulos, se alguns tenho, os que estão contra mim, porque esses guardaram no fundo da alma a força que verdadeiramente me anima e que mais desejaria transmitir-lhes: a de se não conformarem.»
Professor Agostinho da Silva





31 outubro 2016

Vai um desafio???

As redes sociais vão dando ênfase à imagem, que cada vez mais é retocada, tratada, e adulterada.

Para provar que não é o nosso rosto ou a nossa aparência exterior o mais importante, fica uma foto tirada em 1939, onde não será fácil identificar as pessoas, embora todos conheçam os seus nomes e, principalmente, todos usufruam do seu talento.


29 outubro 2016

A propósito do aniversário do Enclavado...

Grato pelas mensagens de incentivo (embora "anónimas")


O certo é que mesmo com o rival Facebook e menos dedicação da minha parte, a média diária quase atinge as 100 visitas.

28 outubro 2016

Parabéns ao "tasco" :)

Começou em 28 de outubro de 2005, ou seja, já teria idade para concluir o 1º ciclo, o 2º ciclo e ter entrado no 3º ciclo.

Fica uma frase descontextualizada...

"Quem nunca foi criança, não precisa do tempo para envelhecer"

Mia Couto


26 outubro 2016

Ganhei o dia!!!


Recebi hoje uma prenda (mal se percebe na digitalização, mas "Para o Dr João com muito amor e carinho" surge no canto inferior direito) de um jovem com 23 anos sofridos, sofridos, sofridos!!!

Não sei se me retrata a mim, ou é um auto-retrato. Mas sei que foi dada por alguém que nos faz repensar a vida e a forma como estamos nela.

Sei ainda que me alegrou o dia e me ajudou até a passar mais um dia sem almoçar, em prol desta rapaziada.
claro que a melhor prenda foi o jovem em causa ter aceite um processo que demorará no mínimo um ano e que conduzirá, como esperamos, à sua reabilitação total.

24 outubro 2016

A sério???


Alguém acredita que esta vítima da justiça fosse capaz de tal coisa?

O problema é que muitos "papalvos" seguiam a cartilha dele...

20 outubro 2016

Quantos anos tenho?

Tenho a idade em que as coisas são vistas com mais calma, mas com o interesse de seguir crescendo.

Tenho os anos em que os sonhos começam a acariciar com os dedos e as ilusões se convertem em esperança.

Tenho os anos em que o amor, às vezes, é uma chama intensa, ansiosa por consumir-se no fogo de uma paixão desejada.

E outras vezes é uma ressaca de paz, como o entardecer em uma praia.

Quantos anos tenho?

Não preciso de um número para marcar, pois meus anseios alcançados, as lágrimas que derramei pelo caminho ao ver minhas ilusões despedaçadas…

Valem muito mais que isso

O que importa se faço vinte, quarenta ou sessenta?!

O que importa é a idade que sinto.

Tenho os anos que necessito para viver livre e sem medos.

Para seguir sem temor pela trilha, pois levo comigo a experiência adquirida e a força de meus anseios.

Quantos anos tenho? Isso a quem importa?

Tenho os anos necessários para perder o medo e fazer o que quero e o que sinto

   José Saramago

19 outubro 2016

Penso que não...


Quando se vive de forma intensa, nem são necessários muitos anos.

Quando se faz algo para melhorar o Mundo (mesmo que apenas aquele que nos rodeia), fica a sensação de dever cumprido.

Quando se tem amigos que nos fazem sentir bem, cada dia é especial.

17 outubro 2016

A fome agora chama-se jejum

2016:Desmaios nos comboios levam a campanha contra o jejum

Estamos nos tempos do maravilhoso governo das esquerdas e que agora a fome - que já nem permitia aos portugueses ir às manifestações - se tornou num desequilíbrio alimentar. 

Aquilo a que em 2016 o PÚBLICO chama jejum em 2012 ou 2013 seria FOME.

Com o irmão do 1º ministro como diretor geral de informação da SIC (grupo da SIC notícias, jornal expresso...)

E sabe-se agora que em 2017 a RTP vai receber mais 3,5 milhões.

Ou seja, com os sindicatos amordaçados pela envolvência do PCP no governo e a comunicação social boazinha...

É um fartar vilanagem!!!


A fazer sucesso no Facebook...

Hoje Coimbra teve mais encanto, na hora do reencontro de Amigos que nem tempo, distância ou vivências conseguem separar.

Abraços fortes e sentidos, lágrimas a bailar, alegrias e tristezas, no meio de muitas gargalhadas e alguns raspanetes.

Sentimo-nos todos pequeninos e sabe tão bem...

Os "meus" meninos serão sempre os MEUS MENINOS!!!



16 outubro 2016

Afinal...


Reconhecem a melodia?

Pois! O Paulo Alexandre em 1977 limitou-se a traduzir/adaptar a letra de uma música lançada em 1974 por um austríaco.

É a vida...

15 outubro 2016

Menos rendimento disponível é o fim da austeridade???

Mesmo não contabilizando o aumento de impostos sobre tabaco, munições, bebidas açucaradas e alcoólicas (não fumo, não caço, não gosto de sumos e raramente bebo bebidas espirituosas), não há como fugir ao aumento do imposto de circulação automóvel, ao aumento dos combustíveis (quem trabalha fora e não tem transportes públicos) ou à taxa de audiovisuais.

Uma vez que as carreiras vão continuar congeladas, não haverão aumentos e a eliminação da sobretaxa só acontecerá metade do ano (vamos ver se as contas assim o permitem...), apenas melhorará em Janeiro pelo aumento do subsídio de alimentação - 0,25€/dia.

Assim, em termos de proveitos, estimo um aumento anual de 200€ (+/-60€/ano do subsídio de refeição e 140€/ano eliminação da sobretaxa no 2º semestre). Ora 200€/ano a dividir pelas 14 prestações anuais (12 meses + subs. Natal e de Férias), dará um aumento de +/-14€ por mês. Ou seja, +/-0,46€ por dia.

Mas... agora vem o aumento das despesas, para podermos saber realmente se há ou não mais rendimento disponível...

Atendendo ao aumento já referido do imposto de circulação automóvel e ao valor estipulado pelo governo para a tarifa da eletricidade +1,2%, estima-se que a inflação atinja - no mínimo esse valor. 

Assim, basta somarmos as despesas anuais (água, luz, gás, telemóvel, TV, internet, alimentação, vestuário, farmácia, casa, manutenção automóvel, seguros, etc...) para atingirmos e ultrapassarmos o valor do incremento dos rendimentos.

É pena o Mário Nogueira, o Arménio Carlos e o Carlos silva terem emigrado no último ano, pois se estivessem por cá, teríamos certamente o povo nas ruas.



14 outubro 2016

Pois...


Ler AQUI

Um corte que é explicado, pelo efeito combinado do “aumento das taxas gerais de IRS, reflectido nas taxas mensais de retenção”, pela “sobretaxa de IRS, que não existia em 2010”, pela “subida da taxa de contribuição para a Caixa Geral de Aposentações de 10% para 11%” e pela “subida da taxa de contribuição para a ADSE de 1,5% para 3,5%”.

A juntar a tudo isto, está o congelamento das progressões das carreiras, ou seja, não serão apenas 10%, mas seguramente 15%.

Quando me chegar o recibo de outubro 2016, compararei com o de outubro 2009.

13 outubro 2016

Que tal???

Lido algures...

O toque da campainha provoca uma torrente caótica de vozes estridentes e cadeiras a arrastar no chão da sala. A professora suspende o discurso, o raciocínio interrompido. A ideia paira no ar, incompleta, e esmorece no silêncio súbito da sala, abandonada pela turma, sem sombra de civilidade ou cortesia.

A professora aproveita a quietude da sala agora deserta para arrumar com vagar os seus pertences espalhados na secretária. Consulta mais uma vez o seu horário deste ano, que ainda não conseguiu memorizar. No tempo seguinte estará a lecionar numa sala do bloco oposto àquele em que se encontra. Terá de esperar para outra altura, o cafezinho que tanto lhe apetecia, sentencia com um suspiro. Melhor será pôr-se já ao caminho, que os dez minutos do intervalo passam num rápido e os seus ossos já não lhe permitem valentias. Passou há pouco a barreira dos sessenta – e de serviço leva já mais de trinta e cinco anos.

Uma vida inteira, cisma, enquanto caminha com lentidão e cautela. Lembra-se dos primeiros anos da profissão que escolheu ainda era ela uma menina de tranças. Recorda-se dos quilómetros que palmilhou por todo o país, de quantas madrugadas viveu estrada fora, de mala aviada e uma vontade imensa de exercer aquele ofício, um entusiasmo que lhe enchia o coração e compensava a falta que tantas vezes sentia da sua casa e dos seus.

O percurso ao longo dos corredores é penoso e necessariamente prudente. Ao desequilíbrio traiçoeiro das pernas aliam-se as armadilhas do caminho. Por todo o lado há correrias destravadas sem rei nem roque, há rasteiras, encontrões e boçalidades gritadas. Encostados às paredes, magotes de adolescentes pairam alheados, numa adoração hipnótica e pasmada do telemóvel.

Caminha em permanente sobressalto, como quem atravessa um campo minado. Ouve o toque estridente de entrada no preciso momento em que dobra a última esquina e escassos metros a separam da sala de aula. Ao fundo do corredor os seus alunos confraternizam ruidosamente, num ritual que se assemelha a uma dança tribal primitiva, com gritos e grunhidos, coroada a espaços com sonoros arrotos e gargalhadas boçais. Lá no meio da matula, alguém berra: “fónix, lá vem a estúpida da velha!” e é agraciado com um ramalhete de risos alarves.

Avança mais uns passos contrariados, o coração a encher-se-lhe de um desejo imenso de dar meia volta e sair dali para nunca mais voltar. Para se forçar a prosseguir, procura dentro de si resquícios do prazer que sentia em ensinar, mas só consegue encontrar cansaço e desilusão. Um sentimento avassalador de inutilidade e desperdício percorre-a como um espasmo. Sente-se irrisória e transparente, como um espírito etéreo de professora que agora vagueia fantasmagoricamente numa escola de que tanto gostou, também ela já desaparecida.

12 outubro 2016

Acabou a austeridade!!!


Nunca consigo ter este "post" actualizado, pois diariamente surgem notícias como esta:

11 outubro 2016

Os avós nunca morrem, apenas ficam invisíveis

Os avós nunca morrem, tornam-se invisíveis e dormem para sempre nas profundezas do nosso coração.

Ainda hoje sentimos a falta deles e daríamos qualquer coisa para voltar a escutar as suas histórias, sentir as suas carícias e aqueles olhares cheios de ternura infinita.

Sabemos que é a lei da vida, enquanto os avós têm o privilégio de nos ver nascer e crescer, nós temos que testemunhar o envelhecimento deles e o adeus deles ao mundo. A perda deles é quase sempre a nossa primeira despedida, e normalmente durante a nossa infância. 

Os avós que participam na infância dos seus netos deixam vestígios da sua alma, legados que irão acompanhá-los durante a vida como sementes de amor eterno para esses dias em que eles se tornam invisíveis.

Hoje em dia é muito comum ver os avôs e as avós envolvidos nas tarefas de criança com os seus netos.Eles são uma rede de apoio inestimável nas famílias atuais. Não obstante, o seu papel não é o mesmo que o de um pai ou de uma mãe, e isso é algo que as crianças percebem desde bem cedo.

O vínculo dos avós com os netos é criado a partir de uma cumplicidade muito mais íntima e profunda, por isso, a sua perda pode ser algo muito delicado na mente de uma criança ou adolescente. 

Valéria Amado

10 outubro 2016

Amanhã...

Divulgação junto da rede "Construir Juntos" do IAC - Instituto de Apoio à Criança.

Aqui


09 outubro 2016

Fim de semana...

Num dia, uma hora de conversa, entre Ronaldos, Quaresmas e Pepes...

Ouvir na 1ª pessoa os sentimentos antes, durante e logo após o remate mais famoso da história do futebol português, precisamente por quem o executou, é um luxo :)

A propósito, a camisola fica-me comprida, mas até ensina a correr :)

A camisola do Portugal X França  ficou para ele, mas atendendo a que Portugal fez 7 jogos, é um privilégio receber (sem pedir) uma delas.


Noutro dia, uma hora de conversa sobre a vida de reclusão, a esperança cá fora e a mudança de atitude perante a vida e a sociedade (que somos todos).

Não tenho fotos, mas o abraço foi igualmente sentido e sincero!!!


07 outubro 2016

A cegueira dos "comunas"

Admiro os princípios do Comunismo e alguns amigos que o são convictamente e aplicam na vida real.

Mas abomino a demagogia, o "bota-abaixismo" e a superioridade moral dos que assobiam para o lado sobre o regime Norte Coreano, fecham os olhos ao Chavismo/Madurismo da Venezuela e clareiam as decisões do regime chinês.

Se tivesse que resumir a uma dicotomia, escolheria esta:

Consta-se que pouco tempo depois do 25 de Abril, Olof Palme (1º ministro sueco covardemente assassinado) encontrou-se com Otelo Saraiva de Carvalho. O social democrata que ficou na História pela forma como conseguiu conjugar uma economia de mercado forte com um Estado Social eficaz, questionou o estratega do 25 de Abril sobre os seus objectivos para Portugal. 

Otelo nem pestanejou e disse: “Queremos acabar com os ricos”. 

Surpreendido, Olof Palme respondeu: “Curioso, nós, os sociais-democratas na Suécia queremos é acabar com os pobres”.

Isto terá acontecido há 4 décadas. Vejam como estão os dois países :)

06 outubro 2016

Orgulho!!!

Depois de termos Freitas do Amaral (fundador do CDS e ministro de Sócrates) ser Presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas...

Depois de termos Durão Barroso (abandonou o cargo de 1º Ministro) Presidente da Comissão Europeia...

Temos agora António Guterres (pai do "monstro" - défice brutal e que se demitiu para Portugal não cair num pântano político - leia-se confusão entre Soaristas e Sampaistas) Secretário Geral da ONU.

Estão de parabéns e estamos todos de parabéns.

Claro que para alguns, o "Osébio - pantera preta" continuará a ser o português "mais melhor bom" e o único conhecido e reconhecido a nível mundial, porque bebia whisky como poucos e falava línguas a pontapé.

O certo é que o Garcia do Evereste, o Ronaldo da bola, o Évora dos saltos, o Lopes e a Mota das corridas e alguns cantores, têm agora companhia no palco mundial que este pequeno país consegue pintar.

Parabéns ao Homem, pois soube manter uma distância e uma dignidade raras nos dias que correm!!!

Da bola...

Passada que está a febre do Sporting ter empatado em Guimarães, importa abordar a novidade que a agremiação encarnada anunciou...

Ver AQUI

Parece que os primeiros modelos já estão na calha...


04 outubro 2016

Do fundo do baú, uma preciosidade

A memória dos dias...

Demagogia à "La Esquerda"

Com a chegada ao poder da geringonça, ouve-se repetidamente "acabámos com a austeridade", "virámos a página da austeridade", "recuperar o rendimento das famílias"...

Entretanto...

Todas as semanas temos anúncios de aumento de impostos, ou estudos sobre a forma de o fazer:

- Aumenta o IMI (basta que seja mais soalheiro)

- Aumenta o imposto sobre o "grande capital" (parece que ter 10 mil contos é considerado riquíssimo)

- Aumentam os impostos indirectos (seja lá isso o que for)

- Aumenta o imposto do alojamento local (de 5% para 28%)

- Aumenta o imposto sobre alimentos pouco saudáveis

Como se não chegasse, as carreiras vão continuar congeladas em 2017 e também não haverão aumentos salariais.

Valha-nos a música :)

03 outubro 2016

01 outubro 2016

Dia mundial da música...

Provavelmente a minha favorita (portuguesa). Também pela letra, claro!